Ataques cibernéticos estão cada vez mais frequentes. Em 2019, uma pesquisa realizada pela Risk Based Security revelou que de janeiro a setembro daquele ano, 7,9 bilhões de registros foram expostos por violações de dados, número 112% maior que no mesmo período de 2018. Além de perder dados confidenciais, as empresas atingidas por tais ataques perdem muito dinheiro para conseguir recuperar estes dados. 

A aplicação de tecnologias, processos e controles para proteger sistemas, redes, programas, dispositivos e dados destes ataques é conhecida como segurança cibernética. O objetivo dela é simples, mas muito importante: reduzir o risco dos ataques e proteger pessoas e empresas contra a exploração não autorizada de sistemas, redes e tecnologias. 

>> Saiba mais sobre soluções em segurança online: 

https://matrix.com.br/a-importancia-da-seguranca-como-msps-transformam-caos-em-oportunidade/

A segurança cibernética é um ponto de atenção para todos os tipos de negócios, independente do porte, todas as organizações precisam estar atentas à ela que tem, inclusive, requisitos legais: o General Data Protection Regulation (GDPR) e o Data Protection Act (DPA) de 2018. Eles exigem que empresas implementem medidas de segurança adequadas para proteger os dados pessoais, podendo, inclusive, pagar multas substanciais caso não implementem tais processos de segurança. 

Conheça alguns golpes cibernéticos realizados:  

– o crime cibernético feito por uma ou mais pessoas, é direcionado para sistemas visando o ganho financeiro ou para causar interrupção;

– o ataque cibernético, muitas vezes, envolve a coleta de informações politicamente motivadas;

– o ciberterrorismo tem a intenção de minar sistemas eletrônicos para causar pânico ou medo.

Mas, afinal, por que a segurança cibernética é tão importante? Como já foi dito, essas violações estão aumentando e, consequentemente, o custo com elas também. Seja custo financeiro ou de reputação, os estragos causados por uma invasão de dados podem ser gigantescos. Além disso, os ataques cibernéticos estão se sofisticando e os criminosos estão atentos a diversas táticas e às vulnerabilidades das empresas para realizá-los. 

Saiba mais sobre o Ransomware: 

https://matrix.com.br/ransomware/

Vale ressaltar que vulnerabilidades são as falhas de segurança nos sistemas que estes ataques exploram. As principais vulnerabilidades estão disponíveis online para o benefício de profissionais de segurança e, também, de hackers criminosos, sendo que não existe a necessidade de qualquer conhecimento de codificação, apesar de precisar de ferramentas necessárias para explorá-las. 

Alguns dos tipos de vulnerabilidades são: 

– falhas em servidores e hosts, pontos de acesso à rede sem fio e firewalls sem acordo e protocolos de rede inseguros;

– fraquezas exploráveis no hardware do computador como Spectre e Meltdown, que podem afetar quase todos os sistemas, incluindo desktops, laptops, servidores e smartphones;

– software e aplicativos com erros de codificação ou que respondem a determinadas solicitações de maneiras não intencionais. Como falsificação de solicitações e scripting entre sites; 

– vulnerabilidades de dia-zero, ou seja, falhas de segurança que foram descobertas por criminosos, mas são desconhecidas e, portanto, não reparadas pelos fornecedores de software. O termo refere-se ao número de dias que o fornecedor tem para resolver a vulnerabilidade, zero.  

Por consequência dessa sofisticação, os regulamentos e requisitos de emissão de relatórios acabam sendo um desafio para a área técnica e será preciso continuar buscando estratégias para reduzir o risco de ataques, inclusive que limite os impactos financeiros e operacionais das empresas.  

Dessa forma, diminuir os riscos de passar por este ato criminoso passa por garantir uma tecnologia que traga segurança, mas também pela conscientização das equipes, principalmente as que trabalham de forma totalmente remota. Isso é algo possível de ser feito. Veja a seguir alguns passos que podem ser realizados para que sua equipe trabalhe com você também na hora de proteger sua empresa: 

1. Conscientização

É essencial que todos do time saibam que o erro humano é a principal causa de violações de dados. Então todos precisam saber como lidar com as ameaças que enfrentam, às vezes, sem nem saber que estão em perigo cibernético. Isso pode ser feito com um treinamento interno que mostra todas as possibilidades e como se proteger.  

2. Segurança de aplicativos

Os criminosos cibernéticos visam bastante os aplicativos da web que, por sua vez, desempenham um papel cada vez mais importante nos negócios. Dessa forma, é vital focar na segurança destes aplicativos.

3. Segurança de rede

É de extrema importância avaliar sua rede para vulnerabilidades e problemas de segurança. Essa avaliação é realizada por um teste de penetração de rede, que verifica a proteção da usabilidade e integridade da rede e dos dados da empresa. Vale, também, atualizar o software e o sistema operacional, para beneficiar os patches de segurança mais recentes.

4. Uso de software antivírus

Soluções de segurança como que vão detectar e remover ameaças. 

5. Líderes comprometidos

A alta administração da empresa deve estar preparada para investir nos recursos adequados de cyber segurança, como o treinamento da equipe e programas de segurança nas redes. 

6. Gerenciamento de senhas

Para garantir que a equipe use senhas fortes, é aconselhável que a empresa implemente uma política de gerenciamento de senhas, com orientações de como elas devem ser criadas com foco na segurança de dados da própria equipe e da empresa. 

7.  Evitar anexos e links desconhecidos

Não abra anexos de e-mail de remetentes desconhecidos, nem clique em links em e-mails de remetentes desconhecidos ou sites desconhecidos, pois podem estar infectados com malware e estas são as maneiras mais comum com que ele é espalhado.

8. Evitar o uso de redes WiFi inseguras em locais públicos

Redes inseguras o deixam vulnerável a ataques man-in-the-middle.

É importante ressaltar que a empresa deve passar aos funcionários a importância de uma cultura firme de segurança cibernética que, além dos treinamentos realizados com a equipe, deve vir dos diretores do empreendimento. A ideia é que todos reconheçam, de forma natural, que tal segurança é responsabilidade de todos. 

Apesar de a segurança cibernética ser totalmente focada em proteger sistemas de computador contra acesso não autorizado, existem diversos outros tipos de segurança como a da informação que tem um conceito mais amplo, para proteger informações impressas ou em formato digital. A segurança operacional e a recuperação de desastres de continuidade de negócio. 

Avaliar regularmente o risco de segurança cibernética da sua empresa é a maneira mais eficaz e econômica de proteger sua organização. A Matrix tem uma equipe especializada em segurança cibernética nos mais diversos cenários. Antivírus, backup, infraestrutura de nuvem, firewall VPN entre outros serviços que manterão sua empresa e seus dados seguros. Marque uma conversa com nossa equipe!


Beatriz Marchi
Analista de Marketing
Gostou? Compartilhe na sua rede social!