Data Center terceirizado? Data Center próprio? O que são esses termos e como devo escolher a melhor opção para minha empresa? Esta é uma pergunta frequente, que muitas pessoas ainda têm dúvidas.

Ambas estruturas são projetadas para abrigar servidores e aplicações da empresa, devendo conter um conjunto de equipamentos de infraestrutura predial para garantir a continuidade das operações de TIC, como controle de acesso, piso elevado, sistemas de condicionamento de ar, combate a incêndio, baterias e geradores.

Além dos serviços corriqueiros para o time de TI, como gestão de hardware e software, faz-se também necessária a manutenção desta infraestrutura predial. Afinal de contas, uma eventual falha nesses sistemas resulta na indisponibilidade do hardware e do software.

Mas, para que você possa entender a diferença entre eles e escolher o melhor custo benefício para sua empresa, é necessário relacioná-las por completo, como faremos a seguir. Acompanhe e confira.

Valor para o seu negócio

“Numa economia cada vez mais digital, a disponibilidade e performance das aplicações podem ter impacto direto em suas receitas. Neste cenário, o Data Center é o núcleo de sua estratégia digital”

Infraestruturas de Data Center seguras são de extrema importância, pois ajudam a otimizar suas operações, aumentam a disponibilidade de suas aplicações e a segurança dos dados, e agilizam processos. Por isso são tão fundamentais para uma empresa.

Mas, é necessário entender corretamente qual a melhor opção, como será possível mantê-la e como fazer uma escolha mais assertiva para o seu caso, pois sabemos que cada demanda de um negócio é diferente do outro.

Ter instalações de Data Center adequadas influenciam em quesitos como:

  • Garantia de disponibilidade de aplicações
  • Elasticidade para lidar com variações de demanda
  • Prover uma experiência adequada ao usuário
  • Garantir a performance dos sistemas
  • Garantir a segurança dos dados

A partir dessas informações, serão mostradas duas opções a seguir, para que você possa fazer sua escolha. Para isso basta somente entender sua real necessidade e o que mais encaixa no perfil do seu negócio.

Saiba o que é Data Center

O Data Center é uma estrutura predial que abriga servidores, equipamentos de conectividade LAN e WAN armazenando dados. É utilizado para a hospedagem de aplicações e serviços de TIC, seja qual for o software ou aplicativo utilizado por sua empresa.

Para cumprir este objetivo, projetos de Data Center são classificados em diversas categorias, conforme projeto de suas instalações prediais.

Um modelo bem aceito pelo mercado é o do Data Center Institute, que classifica infraestruturas prediais de processamento de dados (CPD – centro de processamento de dados), conforme quatro categorias: Tier I a Tier IV.

As classificações Tier foram criadas para descrever o nível de exigência requerida de infraestrutura local destinada a manter as operações de um centro de processamento dados (CPD).

Essa classificação considera a infraestrutura predial destinada a hospedar um CPD, sendo classificada pelo subsistema mais fraco, que pode impactar toda a operação daquele local.

O padrão Tier foca na topologia e na performance de um local individual destinado a CPD, sendo independente dos sistemas de Tecnologia da Informação que operam dentro do local.

Este sistema tem como objetivo básico comparar a funcionalidade, capacidade e a esperada disponibilidade ou desempenho de uma certa infraestrutura predial em relação a outros, ou para comparar um grupo de localidades distintas hospedando CPDs.

Este padrão descreve critérios para diferenciar as quatro classificações de topologias de infraestruturas de localidades de CPD, baseadas em níveis crescentes de redundância, tanto em componentes de capacidade quanto em caminhos de distribuição.

Nível de Tier
______________
Requisitos
I
·        Caminho e distribuição de energia elétrica único, não-redundante
·        Subsistemas de energia elétrica, ar-condicionado e conectividade WAN não-redundantes
·        Infraestrutura garante disponibilidade de  99,671%
II·        Cumpre todos os requisitos do Tier I
·        Subsistemas de energia elétrica, ar-condicionado e conectividade WAN redundantes, garantindo a disponibilidade de 99,741%
III·        Cumpre todos os requisitos Tier I e Tier II
·        Múltiplos caminhos de distribuição de energia elétrica independentes, servindo aos equipamentos de TI
·        Todos os equipamentos de TI devem ser dual-alimentados e totalmente compatíveis com a topologia da arquitetura do local
·        Ociosidade parcial na capacidade dos sub-sistemas, para que numa eventual falha de um subsistema ativo, haja capacidade de sobra para a continuidade das operações com o equipamento passivo (ativo/passivo: N+1)
·        Subsistemas de energia elétrica, ar-condicionado e conectividade WAN paralelamente sustentáveis, onde uma eventual manutenção dos componentes pode ser executada sem causar indisponibilidade aos sistemas de TIC, garantindo a disponibilidade de 99,982%
IV·        Cumpre todos os requisitos Tier I, Tier II e Tier III
·        Todos os equipamentos de refrigeração são independentes e dual-alimentados, incluindo os de esfriamento e de aquecimento, ventilação e sistemas de ar-condicionado
·        A capacidade individual de cada sub-sistema é suficiente manter as operações (ativo/ativo: N+N) 
·        Infraestrutura local tolerante a falhas, com instalações de captação e distribuição de energia elétrica redundantes, garantindo a disponibilidade de 99,995%

Principais Características de um Data Center Próprio

Geralmente Data Centers próprios são classificados como Tier I ou Tier II, dependendo do projeto de infraestrutura predial utilizado. Deste modo, esta infraestrutura predial não tem capacidade ociosa para suporte a falhas dos sub-sistemas ativos, tampouco é paralelamente sustentável.

Uma eventual falha de um sub-sistema (elétrico, de refrigeração ou conectividade WAN) gera indisponibilidade dos serviços de TIC.

Um dos desafios do Data Center próprio é a necessidade de manutenção e atualização dos subsistemas prediais, como captação, geração e distribuição de energia elétrica, e acondicionamento de ar.

Geralmente estes serviços vão além das responsabilidades da equipe de TIC, sendo subcontratadas através de terceiros. No caso de eventuais falhas nesses sistemas, a disponibilidade dos sistemas de TIC é proporcional ao tempo de resposta desses terceiros. 

Por fim, outro fator limitante na utilização de Data Center próprio, é a densidade de telecomunicações disponível.

Na maioria dos casos, a geografia onde se encontra a empresa acarreta em restrições das operadoras de telecomunicações, seja no número de operadoras disponíveis com cobertura na região, seja pela capacidade de largura de banda disponível para comercialização.     

Principais Características de um Data Center Terceirizado

Infraestrutura Predial

A terceirização de Data Center permite que a equipe de TIC da empresa foque em suas aplicações e processos de negócio, deixando as necessidades de manutenção e sustentação da infraestrutura predial sob responsabilidade de um provedor de serviços.

Neste sentido, é importante optar por provedores de Data Centers que dispõem de certificação de infraestrutura predial Tier III.

No Brasil não existem provedores de Data Center compatíveis com o padrão Tier IV. Este tipo de infraestrutura predial é utilizado pelos grandes bancos de varejo, não disponível para comercialização. 

Densidade de Telecomunicações

Provedores de Data Center dispõem de interconexão com múltiplas operadoras de telecomunicações, garantindo altíssima disponibilidade e capacidade de banda.

Esta configuração permite que a empresa lide com variações de demanda do número de usuários da aplicação, com aumento ou redução da capacidade de banda contratada de maneira instantânea.

Economias de Escala

Provedores de Data Centers são grandes consumidores de hardware e software dos fabricantes. Por contratar esses ativos em escala, o preço unitário oferecido pelos provedores tende a ser mais agressivo, se comparado com aqueles oferecidos pelo fabricante diretamente a empresas individuais.

O mesmo racional pode ser aplicado a mão-de-obra: Provedores de Data Center contam com grandes equipes técnicas especializadas na operação dos sistemas de TIC. Estas equipes estão disponíveis para utilização das empresas, viabilizando um modelo de engajamento por projeto ou hora de utilização.      

Segurança Lógica

Mas, além de problemas de infraestrutura predial e conectividade, sistemas de TIC estão expostos a incidentes de segurança, que podem comprometer as operações da empresa de inúmeras formas, por problemas como dados sequestrados, sistemas inoperantes e outros.

Este impacto passa ainda a ser mais amplo com a tramitação e aprovação da lei geral de proteção de dados (LGPD), que estabelece penas severas para a empresa, no caso de vazamento de dados dos usuários. Alguns dos ataques mais comuns em Data Centers são:

Data Centers comerciais contam com múltiplos sistemas capazes de identificar e bloquear esses ataques, minimizando seus riscos. Equipes de segurança da informação monitoram em tempo o real o tráfego entre o Data Center e os usuários, estabelecendo assim um centro de operações de segurança (SOC – security operations center).   

Além do custo elevado, estes sistemas e serviços necessitam de mão de obra especializada sua operação.

Data Center Próprio ou Terceirizado?

Os modelos coexistem. Aplicações de baixa complexidade e criticidade tendem a ser hospedadas em Data Center próprio, como servidores de fila de impressão.

Outra característica determinante para sistemas hospedados em Data Center próprio é a necessidade de operação independente de canais de telecomunicações como:

·        Sistemas de autenticação de usuários para acesso a rede interna (LDAP ou AD)

·        Sistemas de controle de maquinários do chão de fábrica (para a indústria)

·        Sistemas de geração de notas fiscais e controle de depósitos.

O Data Center terceirizado geralmente é utilizado para aplicações de missão crítica como ERPs, ou aplicações que necessitam ser expostas a clientes, fornecedores e parceiros. 

Preço

Neste quesito, analisando todas as necessidades de cada aplicação, é possível chegar à conclusão de que uma solução envolvendo uma parcela das aplicações em Data Center próprio e uma parcela em Data Center terceirizado é a solução de melhor custo-benefício para a empresa.

Lembrando que no Data Center terceirizado, você só paga pela capacidade utilizada, e quando necessitar de mais capacidade, basta adicionar. Atender esta oscilação de demanda em Data Center próprio pode ser um desafio.

Scalability 

A evolução de crescimento de negócio deve ser acompanhada pela área de TI e todos os seus componentes.

Aplicações com comportamento estável e previsível são candidatas a hospedagem em Data Center próprio, enquanto aplicações que exigem alta escalabilidade ou a capacidade de adaptação a variações na demanda dos usuários são candidatas a hospedagem em Data Center terceirizado.

Performance 

Não são as características distintas entre as duas opções que mostrarão quem possui a melhor performance, mas sim a entrega, pois você pode investir em servidores de alta performance em seu Data Center próprio. 

O Data Center terceirizado provê agilidade de alcance de demanda, aumento da capacidade de telecomunicações ou processamento, quando necessário, além de facilidade e rapidez devido a economias de escala.

Ou seja, o mais importante é focar no resultado prático relacionado o nível de exposição, disponibilidade e criticidade exigido para cada aplicação. Assim saberá qual a melhor opção oferecida para cuidar de seus dados.

Conclusão

O Data Center próprio é uma opção viável para hospedagem de sistemas de TIC com baixa exposição à usuários remotos, e para sistemas de TIC cuja missão não seja crítica, onde uma eventual indisponibilidade dos sistemas não cause impacto significativo nas operações ou nas receitas da empresa.

A decisão agora será por sua conta, os dois métodos, Data Center terceirizado ou Data Center próprio são meios fundamentais para preservar e garantir seu negócio. E você, já sabe qual deles adotará para cada um dos seus sistemas e aplicações?

Alexandro Castelli
Comercial