É fácil concordar que a área de TI usa diversos termos e siglas que podem confundir usuários e, até mesmo, pessoas que trabalham na área. Por isso, separamos os mais utilizados aqui na Matrix, para facilitar a compreensão de todos e ajudar na comunicação entre consumidores e técnicos de TI.  

Dica: os termos estão em ordem alfabética, mas aperte CTRL+F para procurar o que estiver em dúvida. 

AWS – Amazon Web Services é uma plataforma de serviços em nuvem segura, que oferece poder computacional, armazenamento de banco de dados, distribuição de conteúdo e outras funcionalidades para ajudar as empresas em seu dimensionamento e crescimento.

B2B (Business-to-Business) – Expressão utilizada para indicar operações de comércio entre empresas.

B2C (Business-to-Consumer) – Expressão utilizada para indicar operações de comércio eletrônico voltadas para o usuário final, o consumidor.

Backbone (Espinha Dorsal) – Rede principal por onde circulam os dados de todos os clientes da Internet. Responsável também por enviar e receber dados entre computadores em alta velocidade, dividindo-se em diversas redes, conectadas à Backbone, garantindo alta performance. Por isso, ela também pode ser chamada de rede de transporte.

Backup – Atividade rotineira de segurança utilizada para armazenar uma cópia de dados ou configurações, normalmente em mídia removível, de toda ou parte das informações existentes nos discos rígidos ou na rede. Pode ser adaptada de acordo com as necessidades da empresa.

Big Data – Conjuntos de dados muito grandes ou complexos, com os quais os aplicativos de processamento de dados tradicionais ainda não conseguem lidar. Os desafios desta área incluem: análise, captura, curadoria de dados, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade dos dados.

Cloud Computing (Computação em Nuvem) – É a utilização da memória, da capacidade de armazenamento e do cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados pela internet, seguindo o princípio da computação em grade.

Cloudware – Serviços, softwares de computador, que estão disponíveis para uso na internet. Ao contrário dos softwares, os cloudwares dispensam instalação no computador.

Cluster – Técnica usada para colocar diversos processadores em paralelo, normalmente utilizada em servidores, para aumentar a capacidade de processamento individual de cada processador.

Colocation – Método de terceirização de serviços no qual o proprietário de máquinas e programas coloca uma outra empresa para gerenciá-los.

Data Center – Também chamado de Centro de Processamento de Dados, é um ambiente projetado para concentrar os servidores, os equipamentos de processamento e de armazenamento de dados. Nele também estão incluídos sistemas de ativos de rede, como os switches, roteadores e outros. Tais espaços são usados para serviços e atividades de diversas áreas, como os de energia, iluminação, telecomunicações, internet, transportes, tráfego urbano, bancos, sistemas de segurança, saúde pública, entretenimento, entre outros.

Desktop/PC (Personal Computer ou Computador Pessoal) – Microcomputador de mesa.

Edge Computing – Termo utilizado para designar a computação na “borda da rede”, onde a captação e o armazenamento dos dados estão o mais próximo possível da sua fonte geradora.

Endpoint – Um dispositivo final conectado a um terminal de rede, que pode ser desde computadores e smartphones até câmeras de vigilância e dispositivos de IOT. Por estar conectado à rede, acaba transmitindo informações e, por isso, está suscetível a diferentes tipos de ataques virtuais.

ERP (Enterprise Resource Planning ou “Planejamento dos recursos da empresa”) – Softwares que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. Exemplo: Protheus, Focco, EMS, SAP, Sige Cloud, Conta Azul.

Escalabilidade – Capacidade que determinado equipamento possui para receber implementações evitando que se torne obsoleto ou deixe de atender às necessidades do usuário. Podem incluir, por exemplo, aumento de quantidade de memória, troca de discos ou processador, entre outros.

Hosting ou Hospedagem – Serviço por meio do qual pode-se instalar software e máquinas para a publicação de um site que ficará disponível constantemente na internet, ou seja, o serviço de hospedagem possibilitará que seu site seja visualizado 24h por dia em todo o mundo.

IAAS (Infrastructure as a Service ou infraestrutura como serviço) – Modalidade em que o cliente contrata a infraestrutura como serviço, ou seja, contrata servidores virtuais ao invés de servidores físicos.

IOT (Internet of Things ou Internet das Coisas) –  Termo usado para a conexão de qualquer coisa à internet, como os eletrodomésticos, dispositivos, tênis… literalmente, qualquer coisa.

ISPS – Código criado com o objetivo de estruturar a avaliação de ameaças e de definir ações de proteção apropriadas às embarcações e terminais portuários.

LAN to LAN – Circuitos desenhados para conectar pontos de troca de tráfego, garantindo alta performance e qualidade na comunicação entre as localidades. São utilizados para interligar duas redes LAN.

Oracle – É um Sistema de Gestão de Banco de Dados (SGBD) escrito em linguagem de programação de computador, também conhecida como linguagem C. O Oracle fica disponível em diversas plataformas materiais.

P2P (Peer to peer ou ponto a ponto) – Arquitetura de redes de computadores sendo que cada um dos pontos da rede funciona tanto como cliente quanto como servidor. Isso permite o compartilhamento de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central.

Rack – Local físico onde se monta um conjunto de equipamentos relacionados, como servidores, discos rígidos, switches, hubs, entre outros.

Recuperação de Desastre (Disaster Recovery) – É um plano de recuperação como arquivamento e backup, que é normalmente usado para recuperação, enquanto o arquivamento é normalmente utilizado para preservação e retenção a longo prazo.

Redundância – Termo amplo que representa a duplicação de componentes críticos, acrescentando confiabilidade ao sistema. Na tecnologia da informação a definição é aplicada mais frequentemente como a duplicação de dispositivos que são utilizados para backup.

SGSI (Sistema de Gestão de Segurança da Informação) – Inclui estratégias, planos, políticas, medidas, controles e diversos instrumentos usados para estabelecer, implementar, operar, monitorar, analisar criticamente, manter e melhorar a segurança da informação.

Software – Conjunto de códigos desenvolvido para executar funções específicas, normalmente para o usuário.

VDI (Virtual Desktop Infrastructure ou virtualização de desktops) – tecnologia de software que separa o ambiente de desktop e o software associado ao dispositivo que o cliente usa para acessá-lo.

WAF – Ferramenta dedicada a monitorar todo tráfego HTTP e HTTPS entre clientes e servidores, tendo como objetivo analisar qualquer tipo de atividades tidas como suspeitas baseadas em assinaturas pré-cadastradas ou configuradas em uma base de dados.

WAN (Wide Area Network) – Tipo de rede que permite a interligação de redes locais, metropolitanas e equipamentos de rede, numa grande área geográfica (Exemplo: país, continente, etc).

O planeta ficará cada vez mais conectado e a área de tecnologia ainda mais imprescindível para as empresas, principalmente com o aumento do número de pessoas em trabalho remoto. O departamento de pesquisa da Statista, empresa alemã especializada na área, projeta que os dispositivos conectados à Internet das Coisas chegarão aos 75,44 bilhões no mundo todo até 2025. 

Assim, mais que saber a tradução dos termos do nosso glossário, é importante que todos entendam o funcionamento destes dispositivos na prática. Dessa forma, a comunicação entre consumidores e profissionais da área pode ficar ainda melhor e a informação torna-se mais acessível a todos. 

Coloque a página no seu favoritos e volte sempre que precisar! 


Alexandro Castelli
Diretor de Produtos
Gostou? Compartilhe na sua rede social!