O trabalho de garantir que todos os alunos tenham acesso igualmente à Internet e à tecnologia é um desafio para administradores e equipes de TI de instituições de ensino.  Ambientes de salas de aula modernas são complexos, com a extensa adesão aos dispositivos digitais, como notebooks e tablets, aplicáveis ​​para apoiar um aprendizado eficaz.

Mas o patrimônio digital vai além dos dispositivos e da infraestrutura local, inclui treinamento de professores sobre as melhores práticas para incorporar a tecnologia no aprendizado e oferecer aos alunos uma experiência consistente.

No espaço educacional atual, o centro nervoso da sala de aula digital é, na verdade, o Data Center. Essas instalações com grande capacidade de conexão e redes distribuídas fornecem computação próxima aos alunos em diferentes localidades. A sala de aula digital inclui inovações significativas em tecnologia que garantem maior disponibilidade, conectividade, escalabilidade e eficiência, com custos operacionais reduzidos, se comparado a investimentos realizados nos campi. 

Os professores já estão aproveitando os dispositivos dos alunos para melhorar a comunicação e o gerenciamento de projetos, além de pesquisas interativas em tempo real e jogos educativos. A proliferação de dispositivos e dados e os avanços na tecnologia estão causando uma onda de mudanças no ensino, aprendizagem e pesquisa, que está transformando o cenário educacional:

  • Formulários para ensino e aprendizagem on-line estão se multiplicando e se padronizando, tanto quanto ajuda à instrução e trabalho em equipe, como fontes de conteúdo. 
  • Big data, machine learning, e outras formas avançadas de análise de dados estão impulsionando e acelerando o tempo de entrega de pesquisas
  • O ensino superior a distância (EAD) já representa 26% da educação superior no País. E vai crescer ainda mais. Recentes pesquisas indicam que, em 2023, o ensino superior a distância corresponderá a 51% do mercado<<mencionar a fonte dos números>>.
  • A realidade virtual e a realidade aumentada começaram a ser percebidas no mercado educacional, com objetivo de tornar as experiências de aprendizagem mais envolventes e transformadoras. 
  • A gamificação é uma tendência que utiliza jogos digitais para atrair e engajar estudantes. Em geral, os jogos utilizados apresentam alguma bonificação, pontuação e diferentes níveis de dificuldade, permitindo promover atividades lúdicas para a escola, tornando o processo de aprendizagem mais agradável, rápido e dinâmico.
  • Chatbots para esclarecer dúvidas de alunos, que também podem ser utilizados para revisões, gerar avisos e lembretes aos alunos. 
  • Armazenamento em nuvem de materiais didáticos, permite salvar e compartilhar dados e arquivos de modo remoto, podendo acessá-los em qualquer lugar e de qualquer dispositivo com acesso à internet. Uma das principais vantagens é o aluno poder iniciar um trabalho na escola e terminá-lo em casa e vice-versa. 

Educadores e administradores precisam colocar a tecnologia no topo de sua lista de prioridades. Esta já é a principal maneira de envolver os alunos e torná-los mais competitivos.

Profissionais de TI devem repensar a infraestrutura tecnológica disponível nas instituições. Ter em mente que essa infraestrutura não está mais disponível somente quando o aluno está no campus, no horário letivo, e que, sim, na maioria dos casos, o acesso é necessário justamente quando o aluno está fora do horário letivo, e fora do campus.  

Ambientes de Data Center contam com sistemas que garantem segurança e alta disponibilidade, em regime de operação ininterrupto. A capacidade de processamento, armazenamento e transmissão de dados necessárias ao ensino digital exigem a terceirização da infraestrutura de TIC das instituições de ensino para parceiros datacenters especialistas num movimento já consolidado pelo mercado comercial. 


Alexandro Castelli
Diretor de Produtos
Gostou? Compartilhe na sua rede social!